Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carroça de Ouro

sombras cheias de luz e silêncio em altos sons.

Carroça de Ouro

sombras cheias de luz e silêncio em altos sons.

o camarão?

Não sei o que é mais triste, se o desespero, ou o desespero... Porque não pode haver outra razão para a Lucina Abreu ter feito esta coisa do camarão...

 

Certo que nenhum dos projetos da rapariga é a puxar para o intelectual (quem dá o que tem, a mais não é obrigado), no entanto deveria existir limites, nem que fosse para não ter vergonha quando sai à rua. A mim deu-me um bocadinho de vergonha alheia quando estava a fazer zapping e dei com moça a cantar num castelhano arrastado sobre o camarão isto e o camarão aquilo... Barda merda mais ao camarão, faz-te óme pah!

Pode ser verdade que agora anda aí a moda das músicas latinas, despacitos e coisas que o valha, mas qual é a necessidade disto.

 

Eu até acho que ela tem todo o potencial para ser tudo o que quiser, mas ser-se bonitinha e sensual não é tudo, principalmente quando as entranhas gritam bimbalhisse, e ela veste aquelas coisas pindéricas até vir a mulher da fava rica!

Nem sequer tive coragem de ir ver a letra da música.....

 

Dái-me paciência senhor, para suportar esta triste vida dos outros

 

 

ela disse uma asneira

Caralhinho é asneira, não é?

 

Não é que a Pipoca não sei quantos, escreveu essa palavra no seu blog? Até se me enchi de orgulho quando li aquilo, depois de tanto scroll-down para passar os testes dos produtos de maquilhagem, o discurso de engraxador de "quanto adora os produtos da marca de cremes", concursos da treta que ela deve receber 100 vezes o que oferece no dito, lá dei com o caralho que me prendeu a vista (no sentido figurado).

 

Portanto a senhora estava zangadíssima, porque alguém disse que uma outra pessoa estava gorda em praça pública, e que uma revista veio explorar isso para criar cliques, visualizações, etc.

 

Realmente é deplorável que uma entidade use este tipo de coisas para crescer, ganhar dinheiro ou visibilidade.

Principalmente porque o post imediatamente anterior a este, era a própria da pipoca a dizer que vai ajudar uma rapariga a atingir o peso saudável com a ajuda de um programa/medicamento/bruxaria/whatever.

Estranho não é? Usar uma gorda para criar visibilidade...

 

Serão dois pesos, duas medidas? Será vontade de aparece e criticar o que toda a gente critica?

 

Ou será apenas burrice da pura destas pessoas que não percebem que ser figura pública tem destes problemas? Se eu tiver gordo ninguem vai colocar isso numa revista nem na televisão. Se não querem ser vitimas do escrutínio deixem-se ficar pelo comum dos mortais. 

 

"ah mas a revista devia ter noção do que diz..." - a revista é um negócio, logo escreve o que vende, ou seja, o que as pessoas compram. "ah mas essas pessoas são mentecáptas" - também as pessoas que lêem o blog dessa senhora, e ela não se queixa.

tronco nú e bordas de fora

Anda já a algum tempo um queixume permanente por esses blogs (e fora deles), claro está que para ser permanente é porque na realidade não tem importância nenhuma, caso contrário o bom português olvidava-se 2 semanas depois (no máximo).

 

Então não é que as mulheres desta vida andam todas encrispadas porque andam por aí homens a passear-se de tronco nú??? Bom na realidade não é o tronco nú que causa a revolta, mas sim o facto de não serem uns Adónis, se fossem não havia queixume.

 

Ora pelos vistos anda por aí muito homem que não tem os requisitos mínimos para despir a camisola em público, e como tal devem retirar-se para um local privado, ou deserto. Não vão ficar as senhoras traumatizadas para sempre.

Sugeria só que antes de irem, peguem nos milhares de mulheres que teimam em vestir leggings quando em vez de pernas têm betoneiras de cimento, e aquelas miúdas que continuam a vestir aqueles calções com cintura subida e as bordas à mostra, quando uma burka não era suficiente para tapar tamanho degredo.

 

Vamos lá ser racionais, e abrir os olhinhos, sim?

 

 

já venho

Decidi tentar retomar esta actividade de maldizente "profissional", digo profissional , porque levo esta tarefa muito a sério, e acredito que seja um serviço público.

Não deixei de fazê-lo propositadamente, talvez porque a vida me foi trazendo outras coisas que me ocuparam.

Não que agora tenha mais tempo, muito pelo contrário, a minha vida deu uma volta tão grande que até fiquei mareado.

 

Depois de mais de 18 meses fora desta esfera, não tenciono fazer um resumo do que fui perdendo e tecer comentários, diga-mos que farei uma espécie de reset e começarei a lançar o meu veninho para coisas novas que irão aparecendo.

 

até já

The Knick

TheKnick.jpg

Andava fartinho de ver sempre as mesmas séries, e mais fartinho estava de ficar à espera que novos episódios chegassem.

Por um mero acaso, visto que não me foi indicada por ninguém, dei com esta preciosidade!!!!

 

Lá pós anos de 1900 e troca o passo, um hospital e uma equipa de cirurgiões, liderada pelo um fantástico Clive Owen, estão sempre a tentar descobrir novos procedimentos para doenças e condições que até à altura não tinham qualquer esperança de melhoria ou sucesso, isto no meio da miséria, droga, e dificuldades económicas... THE KNICK

 

Ao primeiro episódio fiquei viciado, ao segundo fiquei com medo de não conseguir parar. Recomenda-se vivamente!!!!

 

Disclaimer: existem cenas "violentas", durantes os procedimentos cirúrgicos, quem for sensível, recomenda-se a série Modern Family

ao volante

Vinha entretido a caminho do trabalho e comecei a reparar nas pessoas que estavam à minha volta. Decidi encontrar diferentes tipos de condutores e os mais usuais são:

- Os Quasimodos desta vida: quem nunca esteve atrás de um carro com o condutor tombado para a direita, parece que têm um cabrão de um tijolo debaixo da perna esquerda, para não se magoarem nas hemorróidas;

- Os sem-articulações: aqueles estilosos que além de serem Quasimodos, também perderam a articulação do cotovelo e conduzem com braço todo esticado, agarrando o volante pelo ponto mais a norte;

- Os Eu conduzo bem é com os cotovelos: pessoas que puxam o banquinho do carro todo para a frente de tal forma que o ante-braço fica apoiado no volante e conseguem conduzir com o cotovelo;

- Os reza para que não esteja sol: são aquelas alminhas que para além de conduzirem com os cotovelos, puxam o banco todo para cima, e assim que entram no carro começam as avé marias e pais nossos, para que o céu esteja encomberto, porque elas não têm espaço para baixar a pala do carro sem que a mesma lhe bata nos cornos;

- A Inveja é coisa feia: a última categoria não é bem um tipo de condutor, mas sim um tipo de pessoa. São aquelas sumidades que têm um autocolante no carro a dizer "A inveja é coisa feia" e um boneco com dois piretes. Ora eu pergunto a estas pessoas se têm vergonha na cara, se têm problemas de vista, ou se são apenas metecaptos que mereciam descer o Bom Jesus de Braga de boca. Primeiro, ninguém tem inveja de um opel corsa ou de um saxo cup cheio de tunning. Segundo, matem-se caralho.

Dezembro, Natal, Felicidade

Gosto tanto de Natal, como de uma caneca de água raz pela manhã.

 

Fazer compras não é comigo durante os restantes 11 meses do ano, muito menos em Dezembro que é quando a densidade populacional dos shoppings dispara. Eu, sou daquelas pessoas que deixa de fazer compras para não estar 10 minutos à espera para pagar. Quanto mais estar uma hora numa fila da fnac, ou de uma qualquer loja de roupa. Neeeever!

 

Para mim o natal serve mesmo para ver os documentários sobre o nosso senhor Jesus Cristo, a comer sonhos, filhós e coscorões.

 

Mas gabo a paciência das pessoas que acham que enfiarem-se no El Corte Ingles durante 6 horas, é o melhor programa para se fazer a um sábado ou domingo. A minha conclusão é que estas pessoas devem ter uma vida um tanto ou quanto triste, e vazia...

Mas isto é o meu mau feitio a gritar... Não se sintam ofendidos, sim?

 

 

de mansinho se vai ao longe

venho de mansinho, ponho aqui qualquer coisa e já está!!

 

Não preciso de explicar a ninguém as razões da minha ausência. No entanto como sou bom rapaz vou deixar 3 hipóteses, quem estiver interessado escolhe uma:

 

1. Fui detido por violência no local de trabalho, enfiei com um remo nos cornos do meu chefe, e estive no Gulag de castigo.

2. Apaixonei-me em Julho, casei em Agosto, tive um filho em Setembro, de ressaca em Outubro, e a ganhar coragem em Novembro.

3. Tive uma viagem ao Malawi, apanhei uma doença que encarquilha os dedos das mãos que me impossibilitou de escrever no blog.

 

até mai'logo

Pimponeta de nariz empinado

Não percebo como é que há pessoas que conseguem continuar a escrever na comunicação social portuguesa, os superiores só devem ser calhaus com olhos para deixarem publicar certas coisas.

 

Pois esta Pimponeta de nariz empinado de seu nome Lucy, não consegue escrever um texto, opinião, noticía (seja lá o que lhe quiserem chamar) de jeito... Deve ser um problema de esferas, não têm ponta por onde se lhe pegue.

 

Desta vez esta alminha do inferno decidiu dizer que os turista que vêm para Lisboa têm de andar mais bem vestidos, com menos chinelos, menos mochilas, roupa menos estampada, porque tudo isto dá à cidade um ar de turismo de praia.... (?!?!?)

 

Mas que caralho é que esta gaja está praqui a dizer??? É mesmo de alguém que não tem dois dedos de testa, que tem a mania que é estrangeira de elite em Portugal, e que só ela que anda sempre fashion.. É preciso ter muita lata para fazer um texto deste, e ainda por cima em Português e Inglês, caso algum turista queira ler o bem que ela diz deles, tem sempre a opção inglesa.

 

Ela que vá a Paris ou a Berlim em Agosto e me diga como é que se vestem os turistas lá, ou então que em Fevereiro saia de casa e veja se os turistas em Lisboa estão todos de chinelo no pé e camisa de seda estampada.

 

É por estas pessoas que o bendito remo p'las ventas existe, para lhe dar com ele nas trombas até ela decidir ir para a Síria cometer adultério e levar com umas pedradas nos cornos.

 

Deixo o Link para quem quiser:

http://observador.pt/opiniao/lisboa-o-turismo-de-chinelo/